A ultima carta







Um salto para estar ao seu lado,
Apenas isto era preciso...
Mas eu me contive a beira do precipício!

Querida se estiver lendo estas linhas,
Saiba que foi o único modo que encontrei
Para me aproximar de ti.

Minhas energias se acabaram...
Meus dedos trêmulos mal seguram a caneta.
Estou empregando minhas ultimas forças
Para te escrever estas poucas linhas.

Respirar está difícil - sinto em dizer...
Estou como o náufrago que vê sua vida esvaindo-se
Ao encontrar-se já tão próximo da praia.
Pensei estar bem, mas os ferimentos eram graves e não resisti.

Amanhã estarei bem e onde quer que esteja,
Vou sempre voltar meus olhos para ti.
Lembre-se da estrela que escolhemos,
Darei a ela o meu brilho...
Quando este de mim se extinguir!

Sobre o autor

“Escrevo pela simples necessidade de sentir meus próprios sentimentos e ouvir meus pensamentos que vagam sem ressonância neste mundo de surdos. Eu escrevo pra tentar compreender a mim mesmo, não para responder questões às quais nunca saberei a resposta.(Roberto Codax)

Roberto Codax. Tecnologia do Blogger.

Playlist