Mais que um existir


Um dia me iludi, achando que me dariam algo,
Mas só o que tenho é tristeza e desilusão.
Porque tomaram o pouco que eu tinha,
Pra preencher o vazio de suas existências.
 Ontem pediram para ser igual a eles,
Hoje querem que eu desista dos meus sonhos,
Pois minha verdade não igual à deles.
 E sabem que sei... Que querem ser como eu,
Mas não podem, por isso me forçam a mudar e ser um deles.
Mesmo assim tem algo que eles não podem mudar,
Está bem guardado e isso ninguém vai tirar de mim - o meu espírito.
Minha vida cinza tem mais cores que a sua,
Pois vejo mais que os seus olhos o permitem...
Sei que o azul do mar com o amarelo do sol forma o verde das matas.
Não sou culpado se escolhi andar no meio dos carros
Que entre as pessoas nas calçadas.
Com suas vidas planejadas, porem sem nenhum sentido.
Andando lentamente para uma morte certa e inaceitável,
Pois pensam não ter existido o bastante.

Com os limões que a vida me deu





Após beber todas as lágrimas caídas,
Salgar meu paladar com a dor.
Após padecer dia a dia na lida,
Da busca incessante pelo amor.

Acordo da vida para o pesadelo
E passo a idolatrar meu amargor.
Trago cicatrizes como selos,
De cartas devolvidas de amor.

Após o belo sonho do futuro...
Sucumbi perante o predador.
Fui vítima de sentimento tão impuro,
Que os tolos teimam chamar amor.

Diga-me que o viver tem sentido,
Pedirei para ilustrar em vetor.
A vida é labirinto invertido
Onde a alegria não passa de torpor.

Sobre o autor

“Escrevo pela simples necessidade de sentir meus próprios sentimentos e ouvir meus pensamentos que vagam sem ressonância neste mundo de surdos. Eu escrevo pra tentar compreender a mim mesmo, não para responder questões às quais nunca saberei a resposta.(Roberto Codax)

Roberto Codax. Tecnologia do Blogger.

Playlist