Antes que o câncer me consuma



Antes que o câncer me consuma,
Quero dizer tudo o que eu não disse,
Talvez por vergonha ou quem saiba por orgulho.
Quero pedir perdão a todos que magoei,
E perdoar a todos que me magoaram.
Quero ver o por do sol no lugar aonde eu sempre ia.
Quero ver a chegada da noite,
 E as primeiras estrelas que surgem entre ela e o dia.
Quero realizar um sonho que abandonei,
Porque disseram ser impossível.
Quero fechar os olhos e pular de para-quedas,
Para saber se ainda estou realmente vivo.
Mesmo não podendo, vou sair com meus amigos,
E olhar mais uma vez os seus semblantes.
Quero poder rir de verdade, pois disso eu esqueci.
E desejar bom dia com sinceridade porque isso eu não tenho mais.
Quero voltar e reviver tudo de novo, mas não posso,
Pois as águas apagaram minhas pegadas na praia
E sem meus rastros não sei achar o caminho de volta.
Quero acordar cedo e ver o sol nascer entre a névoa...
Quero acreditar na esperança, e duvidar de um sorriso,
Quando a fome e o frio torturam uma criança.
Quero provar que o diagnóstico estava errado...
Mas se por acaso o câncer me vencer,
Pinte um quadro com minhas cinzas,
Pois só assim serei eterno.

Sobre o autor

“Escrevo pela simples necessidade de sentir meus próprios sentimentos e ouvir meus pensamentos que vagam sem ressonância neste mundo de surdos. Eu escrevo pra tentar compreender a mim mesmo, não para responder questões às quais nunca saberei a resposta.(Roberto Codax)

Roberto Codax. Tecnologia do Blogger.

Playlist