Se perguntarem por mim




Se perguntarem por mim, diga que ainda ando,
Que ainda vivo e o ar úmido desses dias frios
Ainda entra em meus pulmões.
Se perguntarem por mim diga que estou bem,
Porem não me vê há muito tempo.
Diga que as ondas desfizeram a imagem do homem de areia
E o que sobrou o vento carregou consigo...
Quando você se perguntar por mim
Estarei fazendo o que você me disse pra fazer sem você,
(Estou vivendo)... É isso que venho fazendo.
Se me perguntar como estou, responderei com clareza.
Estou vivo, com frio e só, estou vivendo às vezes triste, às vezes alegre
Entre um copo e outro de vinho e meia dúzia de amigos sarcásticos
Ouvindo a trilha de nosso adeus enquanto caminho na chuva.
Roberto Codax

Sobre o autor

“Escrevo pela simples necessidade de sentir meus próprios sentimentos e ouvir meus pensamentos que vagam sem ressonância neste mundo de surdos. Eu escrevo pra tentar compreender a mim mesmo, não para responder questões às quais nunca saberei a resposta.(Roberto Codax)

Roberto Codax. Tecnologia do Blogger.

Playlist